Últimas Produções

Até já...

Sejam imensamente felizes...

Era uma vez...

A bicicleta verde

Volta

Por favor entra

Deixa-me olhar-te/acordar...

Frágil

Lista de sonhos

Começar de novo

Baú da Princesa

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Hit Counter

free hit counter code
free search engine submission

Get your own Poll!
TugaTop - O melhor sitio para divulgares o teu site!
Locations of visitors to this page
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Domingo, 27 de Maio de 2007

Não consigo...

            Não consigo…não consigo queimar as cartas de amor que me escreveste, não consigo esquecer todas as coisinhas ridículas e fofas que me dizias, não consigo esquecer nada do que juntos fomos, não consigo, não consigo, não consigo…e nem sei se quero, realmente. Preferia que voltasses e que ficasse tudo como estava, como era…mas também não consigo desejar isso ardentemente, porque não te quero infeliz…porque amo ver-te sorrir, amo-te feliz, como em tempos o eras comigo.

            Já passou mais de uma semana desde que partiste, ou dito outra maneira, de uma maneira que dói mais, mas a mim, pois a ti nada parece afectar-te, pareces intocável, intocável como o eras antes de me sorrires…já passou uma semana desde que me deixaste, já passou a minha hora, estou atrasada para tudo, tudo me passou ao lado nos últimos dias, menos a tua ausência…como é que isso me poderia passar ao lado? Não pode nunca.

            Não penses que passei todos estes dias no chão do corredor a chorar a tua ausência…saí daqui centenas de vezes, mas acabo sempre por voltar, pois foi aqui que te vi pela última vez, amor tens-te alimentado bem? Algumas pessoas passaram por cá para verem como eu estava, não percebo porque o fizeram…foste tu? Foste tu quem lhes pediu para me virem dar um ombro? Ainda te preocupas comigo? Ou isso foi só um descargo de consciência? Podia ter todos os ombros do mundo…que de todos abdicaria se me faltasse o teu, como aliás falta. Saí daqui para abrir a porta aos que vieram e que se foram, sabes, todos me disseram obcecada, por ti, por uma amor que já não vale a pena…eles não sabem o que ter-te e o que é perder-te, dói…dói muito, dói de mais.

            Ninguém sabe o quanto dói, pois ninguém te teve como eu te tive.

           

           


publicado por Flá às 18:29

link do post | comentar | favorito
|

11 comentários:
De página_dos_sentimentos a 27 de Maio de 2007 às 19:36
Antes de mais queria felicitar-te por um blog tão bem escrito. Noto que amas e sofres por amor. Penso seres reveladora de uma grande sensibilidade, o que, em meu entender, te favorece nuns aspectos e prejudica noutros.
Neste momento também amo. Amo uma mulher especial mais bonita do que o azul do céu. Conheci-a na faculdade. Durante a licenciatura ela revelou-se algo inalcançável. Agora que estou licenciado penso ser mais fácil uma aproximação, deves perceber porquê ... Se quiseres ler o meu blog ficarás a saber o que penso a respeito dos afectos e de outros assuntos.


De mar * a 27 de Maio de 2007 às 21:00
hum...sei o q isso e'.

E doi sempre, doi todos os dias. com o passar do tempo, doi menos, mas nao importa...porque doi de qualquer maneira.

Gosto-vos juntos. e e' exactamente como disseste..."nao consigo, nao consigo, nao consigo...e nem sei se quero, realmente"

=)

["time falls away,
but these small hours,
these small hours still remain.."]
****


De Carlos a 28 de Maio de 2007 às 15:25
A vida continua e é feita de altos e baixos. A mestria está em tirar proveito dos maus momentos para sermos mais fortes num amanhã que é já hoje.


De daplanicie a 29 de Maio de 2007 às 11:12
Por vezes ao ler o teu blog fico indecisa sem saber se escreves sobre uma dor real ou se são apenas histórias que escreves. Do que nunca fico indecisa é acerca da qualidade do que leio que acho excelente. :-) Bj


De eva a 29 de Maio de 2007 às 18:10
Obrigada pelo comentário!
Quanto ao que escreveste... os que acham que não sonhamos ou que os sonhos são disparates, não sabem mesmo o que é a vida. O sonho faz parte da vida, faz parte de nós. E se, crescendo, continuarmos a ter a capacidade de sonhar, seremos capazes de olhar a dor de frente porque sabemos que um dia nós seremos o próprio sonho, mesmo que para isso tenhamos de derrotar todos os pesadelos que nos apareçam pela frente.
Um xi-coração!


De FlordeLis a 5 de Junho de 2007 às 16:26
Olá . Quem vive um grande amor, compreende que mesmo que tudo acabe, que nunca se vai querer mal ao outro, porque atrás de um grande amor, vive também a compreensão, o respeito e a capacidade de perdoar. Eu sei o que isso é. Apesar de ter sido apenas um momento breve na minha vida.




De ldcristiano a 6 de Junho de 2007 às 13:09
Olá.
Obrigado pela visita.
Gostei do que li e vi.
So por acaso Miguel Torga é um dos meus preferidos.
Vou passar por cá sempre que puder.
Cumprimentos
Luís Cristiano


De inesantosiej a 8 de Junho de 2007 às 14:59
eu compreendo.
nao sei o k é ficar sem essa pessoa,
mas sei o k e ficar assim sem alguem mto importante dessa maneira.
é um horrivel sentimento...
é como pôr limao numa ferida.
aliás... é pior k isso.
Eu compreendo.
tenta superar isso (sei que nao consegues, pelo menos tao depressa) mas tenta distrair-te e sair mais com os amigos...
bjinhus
fika bem
***


De eva a 10 de Junho de 2007 às 23:05
Nestes momentos é fácil quem está de fora opinar, dar palmadinhas nas costas, beijinhos. É bom! É melhor que estarmos sós mas nada substitui o encontro que temos de fazer connosco próprias. A perfeição não existe, é certo! Mas o amor àquilo que somos (que verdadeirammente somos), pode e deve ser capaz de nos dar forças para resistir a tudo. Até a nós próprias, às nossas fraquezas. O mundo é muito mais que o horizonte próximo. E o amor a dois pode encontrar-se várias vezes (o que o impede?) ao longo da vida. Quando nos entregamos à vida com amor até nos arriscamos a encontrar talvez não um um príncipe mas, quem sabe?, uma alma nobre.
Desculpa, acabei por também desatar a opinar. Mas fala quem sabe do que está a falar, garanto-te!
Beijinho e, pinxexa linda, não te esqueças que há sempre, algures, um reino de aquém e de além dor onde podemos ser rainhas! Mas temos de lutar... e vencer!


De Mar* a 2 de Julho de 2008 às 17:26
Criava um fogo na palma da minha mao, sempre que eu quisesse..Era leve..Quente, mas sem queimar..era meu. So' meu.
Hoje..quando abro a mao.. nada resta dele..senao cinzas..de mim. Extinguiu-se..mas nao sem antes me queimar, levar pedacos de mim..
Como qualquer crianca que acredita na Fada dos Dentes..tambem eu acredito, vivamente..que como das cinzas renasce a Fénix..tambem este amor..que em cinzas se desfez, das cinzas nasça.


De Flá a 2 de Julho de 2008 às 18:47
olá Mar*

fiquei muito surpreendida pela sua visita, é a mesma que comentou este mesmo post à uns meses??

sabe é bom renascer das cinzas, mesmo sabendo que outra morte chegará...mas será sempre bom renascer das cinzas.

os amores renascem mesmo.

desejo-lhe as maiores e melhores felicidades, volte sempre que quiser, será sempre bem vinda.

beijinho


Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisa

 

Outubro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


tags

todas as tags

Favoritos

Uncensored

Links

Dá-me uma palavra...


blogs SAPO
RSS